Entrevista para o Jornal da Metodista – Rudge Ramos ON Line – de 29/10/2014

GIBITECA DE SANTO ANDRÉ PROMOVE OFICINA DE DESENHO GRATUITA

Objetivo é estimular pessoas de todas as idades para a produção de histórias em quadrinhos
Publicado em 20/10/2014 09:40
Gibiteca de Santo André promove oficina de desenho gratuita

Além de acervo com 25 mil exemplares, a gibiteca de Santo André promove oficinas de quadrinhos – Larissa Brancalhão/RRO

LARISSA BRANCALHÃO
LETÍCIA GOMES
TALITA MORAIS
Especial para o RROnline*

A gibiteca de Santo André oferece curso gratuito de desenho com o objetivo de estimular a produção de histórias em quadrinhos. A oficina acontece aos sábados e tem duração de três meses, mas ocorre durante o ano todo. Os interessados podem participar mesmo sem ter presenciado as aulas anteriores.

O designer Paulo Mansur, professor do curso, conta que a média é de 15 alunos por turma. “Muitas pessoas não têm dinheiro para pagar um curso de desenho e nós oferecemos isso gratuitamente”, afirmou.

Mansur comenta que pessoas de diferentes idades participam das aulas.  “Às vezes, estamos já na quarta aula e ainda tem gente chegando. Tem avó que traz o neto, o pai que acompanha o filho e que acabam participando das aulas”, disse.

O aluno do curso, Gustavo Pessoa, 25, teve seu primeiro contato com a arte por meio dos gibis na infância. “Ter um lugar onde essa experiência é pública só contribui para que as crianças da região cresçam interessadas na cultura e participem de outras atividades no Paço”, disse.

O espaço também é lugar de eventos e encontros para admiradores de filmes, séries e livros. A mais famosa delas é a convenção “Quantum Fiction”, criada em 2013, que tem em sua programação exposições, debates e feira de produtos temáticos.

A gibiteca

Criada em setembro de 2001, a gibiteca fica na Biblioteca Nair Lacerda, no prédio da Secretaria de Cultura da cidade. O acervo é composto por 25 mil exemplares, mas apenas quatro mil deles são para empréstimos aos leitores. Os outros 21 mil são raros e só podem ser lidos no local.

Os exemplares, em sua maioria doados, têm títulos conhecidos, como o clássico “Flash Gordon – Planeta Mongo”, das décadas de 30 e 70. Para o frequentador do espaço Gilberto Xis, 39, é importante ter a biblioteca em um lugar já tradicional de leitura no município. “Todos os que visitam a biblioteca para as suas pesquisas notam o espaço”, disse.

Segundo o coordenador da gibiteca, Carlos Foganholi, o local também recebe crianças de escolas municipais e particulares. “As crianças e mesmo jovens têm atração maior por quadrinhos. Antes de se aprender a ler, aprende-se a ler imagens. Ou seja, eles acabam ligando ilustrações com textos, despertando assim a imaginação e o interesse pela leitura”, contou.

Xis, quando criança, era fã dos gibis da Turma da Mônica, Walt Disney e de terror, como Drácula. “Foi por meio dessa gibiteca que tive meu primeiro contato com HQs de temáticas mais profundas para adultos, verdadeiras obras de arte que na época não tinha condições de comprar”, explicou.

Embora seja municipal, a gibiteca não recebe dinheiro público e conta com doações para manter e aumentar os títulos de histórias em quadrinhos.

“Gibiteca Municipal”
Endereço: Praça IV Centenário – Centro, Santo André
Horário: Segunda a sexta, das 8h às 19h, e sábado, das 8h às 12h.

*Esta reportagem foi produzida por estagiários da Redação Multimídia da Faculdade de Comunicação da Universidade Metodista de São Paulo

Anúncios